Um pedacinho de terra perdido no mar

Brasil Observer - ago 21 2015
Ponte Hercílio Luz (Foto: Visit Brasil)
Ponte Hercílio Luz (Foto: Visit Brasil)

(Read in English)

Amigos locais e apaixonados por Florianópolis dão dicas para aproveitar esse paraíso no sul do Brasil

 

Por Ana Beatriz Freccia Rosa

“Um pedacinho de terra perdido no mar”, diz o refrão da música ‘Rancho de Amor à Ilha’, composta por Cláudio Alvim Barbosa, hino oficial de Florianópolis, capital de Santa Catarina, e uma das maiores belezas brasileiras. Nessa planície próxima ao mar, ao pé de uma colina, o bandeirante Francisco Dias Velho fundou a Vila Nossa Senhora do Desterro, local em que está a Praça XV de Novembro, na região central. A partir dali Floripa começou a expandir-se, com suas pequenas ruelas margeando a praia. A Figueira, uma árvore centenária, é um dos principais pontos de visitação – e segundo certa simpatia contorná-la várias vezes pode atrair casamento e fortuna.

Esse paraíso no sul do país é uma das cidades mais conhecidas internacionalmente, seja pelas mulheres bonitas desfilando de biquíni durante o verão ou pelas belas paisagens, o que faz a cidade ser considerada perfeita para quem gosta de estar perto da natureza.

Se você tem planos de viajar para o Brasil, saiba que Floripa não está na rota da maioria das agências. Mas, localizada a apenas 45 minutos de voo de São Paulo, é a cidade perfeita para quem não tem muito tempo, pois em um fim de semana é possível percorrer a ilha inteira e sair apaixonado pelo seu povo, suas 42 praias e sua beleza.

De carro, é possível conhecer facilmente as principais atrações de todas as regiões da cidade, assim como a parte continental, que mesmo “do outro lado da ponte” ainda é considerada Florianópolis. Duas pontes fazem a ligação ilha-continente e a histórica Ponte Hercílio Luz, sem acesso para carros ou pedestres, é o cartão postal.

Floripa é uma cidade para todos, porque oferece ótima gastronomia, paisagens belíssimas, praias para todos os gostos, cultura, artes, natureza, esportes e muito mais. Hoje, Florianópolis é responsável por 70% da produção de ostras no país e cerca de 5.000 pessoas vivem da maricultura (criação de mariscos) no sul da ilha. Sua excelente gastronomia foi eleita patrimônio mundial pela UNESCO.

Sonho de consumo e de vida de quase todos os brasileiros, Floripa é minha terra natal e, mesmo morando há cinco anos no exterior, eu não me canso de ouvir coisas boas e interessantes que surgem a cada momento sobre a cidade. Mas, como sou apaixonada pela ilha, pedi para amigos locais ou tão apaixonados pelo paraíso quanto eu darem suas melhores dicas. E mesmo sendo um lugar paradisíaco, vale lembrar: Florianópolis tem quatro estações muito bem definidas, então é bom ter cuidado na hora de fazer as malas! Caso sua viagem seja entre os meses de maio e outubro, além da roupa de banho você precisa levar um cachecol. Agora aproveite as dicas e boa viagem!

 

 

 

“Jurerê é imperdível: é o único bairro do Brasil que não tem muros, e sem ser condomínio fechado! Lá tem os restaurantes Donna e 300, que são ótimos. Provar a pizza no Lorenzo’s, passar o domingo em Ribeirão e provar as deliciosas ostras no Ostramadus. Conhecer a Ilha do Campeche e badalar no The Roof. Encerrar o fim de semana em um dos ótimos restaurantes da Avenida Beira Mar”Luiz Augusto

 

“Meu lugar preferido é Praia da Daniela: água cristalina e mar manso. Acho show de bola os guardadores de carros que deixam garrafas de água atrás dos veículos para limpeza dos pés”Rubia Guedes

 

“Almoçar no restaurante Casa Do Chico, curtir a Praia do Matadeiro e a trilha para Ponta das Aranhas, passando pelo Costão do Santinho, são minhas dicas para quem vem visitar a Ilha”Raquel Lima

 

“Ótimas opções para família com filhos são passear na Lagoa da Conceição e almoçar no Barracuda (melhor área infantil). Também sugiro a pizzaria Lorenzo’s, que tem o Mini Pizzaiolo, a Praia da Daniela, o Horto Florestal e o Projeto Tamar”Patrícia Tabalipa

 

“Gosto muito e vale a pena conhecer: 1) Travessa Ratcliff, principalmente aos sábados, pois rola um mercadinho de rua na Tiradentes e você pode emendar um chopp no Mad Kelt, ou uma cerveja em outro barzinho; 2) Assistir a alguma peça ou concerto no Teatro Álvaro de Carvalho; 3) Não é em Florianópolis, mas em São José, no segundo domingo de cada mês, acontece a feira da freguesia na praça do centro histórico, comidinhas diferentes e sempre com uma temática e apresentações em torno do tema; 4) Ribeirão da Ilha para passear e descansar na pracinha”Rodrigo Santiago

 

“Adoro a Praia de Naufragados, que surge depois de uma trilha maravilhosa, com natureza exuberante. Gosto também da Praia do Moçambique: água gelada, surf em alta e muito alto astral. No ano passado, dei a volta na ilha e conheci a Ilha do Arvoredo, linda, com vida marinha sem igual, lugar maravilhoso para dar uns mergulhos! Outra trilha maravilhosa começa no caminho da Praia da Joaquina, perto do beco dos surfistas, e sai na Praia do Gravatá, linda demais. Pare comer sugiro Japex, Floripa e Itaguaçu”Cleiane Steinbach

 

RECOMENDAÇÃO

A Apino Turismo (www.apino.com.br) cria o roteiro que você desejar: luxo, aventura, família, lua de mel ou uma mistura de tudo que você quiser fazer na ilha ou até nas cidades do litoral em outras partes do estado de Santa Catarina. Se você gosta de desbravar novos lugares e se sentir como um morador local, entre em contato com o pessoal do Floripa Walking Tour pelo Facebook e conheça a cidade a pé.

BRASIL OBSERVER – EDIÇÃO 30